Destaques

Newsletter

quarta-feira, 25 de março de 2020

Resenha – Santa Adrenalina! – Cláudia Lemes


 Oie! Como estamos?
Depois de um tempinho, voltei para inaugurar a seção de “resenhas” com um livro que li pela primeira vez no ano passado, reli esse ano e sempre que tenho uma dúvida ou quero relembrar de algo, eu o pego novamente para ler.
Antes de mais nada, eu queria apenas avisar que pretendo continuar publicando, sim, esse tipo de resenha, de livros com técnicas de escrita etc, mas pretendo também publicar resenhas sobre os livros de ficção que leio. Talvez demore muito? Sim. Talvez sejam poucos? Também. Até porque não é todo livro que leio que sinto vontade de resenhar (hahahahah), mas espero de coração que gostem das dicas que eu colocar aqui. Sejam elas de ficção ou não-ficção <3
Então, vamos lá?!
Como muitos de vocês sabem, estou escrevendo meu primeiro Suspense – Srta. Wright – e por esse livro ser um desafio para mim de muitas maneiras – e também por eu estar determinada a aprender tudo o que puder e dar o meu melhor – eu tenho feito muitas pesquisas. De livros sobre escrita criativa, de blogs que falem sobre escrita, que deem dicas (inclusive, posso fazer um post elencando os que mais gosto), e recebi a indicação do livro “Santa Adrenalina!” em um curso que fiz no ano passado.

domingo, 8 de março de 2020

Um pouco sobre o meu processo de escrita...


Uma autora com suas anotações não quer guerra com ninguém! 😅

Eu estava aqui atualizando os resumos de capítulos que faço para o livro que estou escrevendo atualmente e me ocorreu que nunca compartilhei com vocês como funciona o meu processo de produção: de pesquisa, de escrita, de organização de ideias e de busca de inspiração (ela nem sempre vem, é fato, mas às vezes algumas coisas me ajudam a encontrá-la por aí😂). Como esse livro está me desafiando de muitas maneiras e, apesar de surtar às vezes, eu tô amando, decidi compartilhar um pouquinho sobre ele. Ano novo, experiências novas, não é mesmo?! Então, vou reservar um destaque aqui no meu perfil para mostrar atualizações e mais detalhes sobre esse processo. Espero que gostem.
De início, tudo o que digo é: a ideia que tenho para uma história, nem sempre é a que desenvolvo no decorrer dos capítulos que escrevo.
A ideia para essa história especificamente nasceu de um insight sobre o mundo da agiotagem em Las Vegas. Vocês não vão acreditar no que realmente tem na história escrita.

Las Vegas? Não!

Estamos em Detroit, amores. E agiotagem não é o foco aqui.

Bloqueio Criativo: dicas para sair dele!


Decidi dar uma passadinha aqui rapidinho pra compartilhar com vocês um pouquinho mais do meu processo de escrita. Algo que acontece com mais frequência do que eu gostaria e que me trava, às vezes por dias/semanas (dependendo de como está meu tempo para escrever).


BLOQUEIO.

Essa palavrinha é o terror de quase todo autor e/ou profissional que trabalha com a criatividade.
Não é uma questão de não ter inspiração. É uma questão de simplesmente não produzir nada ou produzir algo que não te satisfaz, que não condiz com o que você planejou ou com o que os personagens "aceitam" (no meu caso). Já aconteceu de eu saber tudo o que precisava acontecer numa cena e não conseguir escrevê-la mesmo assim ou escrevê-la e sentir que está horrível, que eu estou forçando e que o texto está ficando forçado também. 
Nenhum momento é exatamente igual para mim. Às vezes o bloqueio é porque a minha mente não tá conseguindo concentrar como deveria, às vezes é porque não estou num bom momento comigo mesma e não consigo gostar do que produzo, às vezes é porque ainda não estou completamente certa sobre tudo o que precisa acontecer e preciso pensar e planejar um pouco mais, às vezes é porque os personagens se recusam a aceitar seus destinos impostos por mim (sim, acontece. E adivinham de quem é a última palavra no fim?!), e também pode acontecer porque eu não estou lendo como deveria. Sim, exatamente isso. A leitura é o principal alimento de um escritor. Se ele não lê muito, se não se alimenta de textos bem escritos, de parágrafos bem elaborados, de frases e analogias bem pensadas e desenvolvidas, o texto que ele produz vai sofrer as consequências disso.

Mas o que eu faço nesses casos?

Hey! Sejam Bem-vindas!



Há algum tempo eu falei para vocês sobre um desejo que comecei a sentir de compartilhar um pouco mais sobre mim. Não apenas sobre meus livros ou a “Mary Oliveira”, mas sobre a Mary universitária, a Mary leitora, a Mary escritora... a Mary mulher. Então, por isso mesmo decidi organizar tudo nesse site. Não pretendo fazer nada grande, mas espero de coração que gostem!
Farei posts simples e curtos, falarei um pouco sobre meu curso da faculdade (curso Letras – Língua Portuguesa, para quem ainda não sabe), sobre os livros que leio, as séries e filmes que assisto, sobre o que escrevo, como escrevo, o que aprendi nesses quase cinco anos de mercado literário. Enfim, quero compartilhar algumas das minhas experiências de vida e espero ajudar ou mesmo incentivar você que está aí do outro lado da telinha, com dúvidas sobre publicação e escrita, desanimado com a faculdade ou cansado dela, enfim, esse será um cantinho todo nosso. Fiquem à vontade para comentar e compartilhar suas experiências também.
É isso, nos vemos nos próximos posts <3

© Hey, Mary Oliveira! – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in